Agrobiodiversidade e perfil da produção sob manejo orgânico no estado do Rio de Janeiro

Gabriel França Toledo Pinto, Caroline Ferreira Dutra, Priscilla Rodrigues Ruella, Marconi Bezerra Santos, Maria Fernanda de Albuquerque Costa Fonseca, Thadia Turon Costa da Silva

Resumen


O objetivo do estudo foi avaliar a agrobiodiversidade da agricultura orgânica no estado do Rio de Janeiro e comparar com a produção e a oferta de hortifrutícolas convencionais. Para isto foram utilizadas consultas ao cadastro nacional de produção orgânica, boletim de comercialização da CEASA RJ e Acompanhamento Sistemático da Produção Agrícola ASPA/EMATER RJ. Foram avaliados número de produtores orgânicos, estado, mecanismos de avaliação da conformidade orgânica, escopos de produção e culturas produzidas. Foram comparadas a diversidade das culturas ofertadas entre os sistemas orgânico e convencional. No estado do Rio de Janeiro o escopo de produção primária vegetal prevalece na produção orgânica, com maior agrobiodiversidade que a produção convencional. A banana prata, cenoura, aipim, abacate, limão galego, berinjela, cebolinha, quiabo, beterraba e inhame são as 10 culturas mais frequentemente produzidas entre os agricultores orgânicos do estado. As culturas do aipim, banana prata e quiabo encontram-se na lista das 10 culturas com maior número de produtores envolvidos, quer seja no manejo convencional ou no manejo orgânico. A produção orgânica apresentou-se 4,9 vezes mais diversa que a produção agrícola produzida sob manejo convencional. No entanto, ressalta-se a necessidade de aperfeiçoamento na inserção dos dados no CNPO e ampliação do ASPA para realização de avaliações mais fidedignas à realidade da produção agrícola do estado do Rio de Janeiro.

http://id.caicyt.gov.ar/ark:/s25251635/iuyv8ks0y

Fonseca


Palabras clave


alimento orgânico; agricultura orgânica; hortifrutícolas

Citas


Aleri, M. (2002). Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Guaíba: Agropecuária.

Allen, T.; Prosperi, P.; Cogill, B.; Flichman, G. (2014). Agricultural biodiversity, social-ecological systems and sustainable diets. Proceedings of the Nutrition Society. 73 (4): 498-508. https://doi.org/10.1017/S002966511400069X

Associação de Agricultores Biológicos do Estado do Rio De Janeiro. ABIO (2016). Caderno Sistema Participativo de Garantia. Rio de Janeiro. https://abiorj.org/wp-content/uploads/documentos/caderno-spg-mai-16-abio.pdf

Bevilacqua, Hecr, Shiraki (2006). Horta: cultivo de hortaliças. São Paulo, Rettec Artes Gráficas.

Brasil (2003). Lei n° 10.831, de 23 de dezembro de 2003. Dispõe sobre a agricultura orgânica e dá outras providências. Brasília – DF, Diário Oficial da União, 23 dez. 2003. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.831.htm

Brasil (2007). Decreto n° 6.323, de 27 de dezembro de 2007. Regulamenta a Lei no 10.831, de 23 de dezembro de 2003, que dispõe sobre a agricultura orgânica, e dá outras providências. Brasília – DF, Diário Oficial da União, 28 de dez 2007. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6323.htm

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2009). Instrução Normativa n° 19 de 28 de maio de 2009. Aprova o regulamento técnico para os mecanismos de controle e garantia da informação dos produtos orgânicos. Brasília-DF, Diário Oficial da União, 29 maio 2009b. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/organicos/legislacao/portugues/instrucao-normativa-no-19-de-28-de-maio-de-2009-mecanismos-de-controle-e-formas-de-organizacao.pdf/view

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2011). Instrução Normativa n° 46, 6 de outubro de 2011. Estabelecer o Regulamento Técnico para os Sistemas Orgânicos de Produção, bem como as listas de substâncias e práticas permitidas para uso nos Sistemas Orgânicos de Produção. Brasília-DF, Diário Oficial da União, 06 out. 2011. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/organicos/legislacao/portugues/instrucao-normativa-no-46-de-06-de-outubro-de-2011-producao-vegetal-e-animal-regulada-pela-in-17-2014.pdf/view

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2014a). Instrução Normativa nº 17, de 18 de junho de 2014. Alterar os ,arts. 1º 2º 3º 8º 13, 14, 15, 20, 21, 29, 34, 35, 38, 39, 42, 59, 60, 63, 80, 81, 82, 85, 89,100, 101, 103, 106, 108, todos da Instrução Normativa nº 46, de 6 de outubro de 2011. Brasília – DF, Diário Oficial da União, 18 jun. 2014a. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/inspecao/produtos-vegetal/legislacao-1/biblioteca-de-normas-vinhos-e-bebidas/instrucao-normativa-no-17-de-18-de-junho-de-2014.pdf/view

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2014b). Instrução Normativa nº 18 de 20 de jun. 2014. Institui o selo único oficial do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica e estabelece os requisitos para a sua utilização nos produtos orgânicos. Brasília – DF, Diário Oficial da União, 2014b. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/organicos/arquivos-organicos/legislacao/portugues/instrucao-normativa-no-18-de-20-de-junho-de-2014.pdf/view

Brasil. Presidência da Repùblica. Casa Civil (2006). Lei nº 11.326 de 24 de julho de 2006. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. Brasília, DF, D.O.U. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11326.htm

Brasil. Presidência da Repùblica. Casa Civil (2015). Lei 13.123 de 20 de maio de 2015. Regulamenta o inciso II do § 1º e o § 4º do art. 225 da Constituição Federal, o Artigo 1, a alínea j do Artigo 8, a alínea c do Artigo 10, o Artigo 15 e os §§ 3º e 4º do Artigo 16 da Convenção sobre Diversidade Biológica, promulgada pelo Decreto nº 2.519, de 16 de março de 1998; dispõe sobre o acesso ao patrimônio genético, sobre a proteção e o acesso ao conhecimento tradicional associado e sobre a repartição de benefícios para conservação e uso sustentável da biodiversidade; revoga a Medida Provisória nº 2.186-16, de 23 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília-DF, Diário Oficial da União, 14 mai. 2015. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13123.htm

Brasil. Presidência da Repùblica. Secretaria Geral (2016). Decreto 8.772 de 11 de maio de 2016. Regulamenta a Lei nº 13.123, de 20 de maio de 2015, que dispõe sobre o acesso ao patrimônio genético, sobre a proteção e o acesso ao conhecimento tradicional associado e sobre a repartição de benefícios para conservação e uso sustentável da biodiversidade. Brasília-DF, Diário Oficial da União http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/decreto/d8772.htm

CEASA-RJ. Boletim de Comercialização de alimentos da Central Estadual De Abastecimento e Segurança Alimentar Do Estado Do Rio De Janeiro. http://www.ceasa.rj.gov.br/ceasa_portal/view/ListarCotacoes.asp

Censo Agropecuário 2017. Resultados definitivos. Rio de Janeiro – RJ, IBGE, 2019. https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017

Conselho Brasileiro da Produção Orgânica E Sustentável. ORGANIS (2019). Panorama do consumo de orgânicos no Brasil: 2019. Curitiba, ORGANIS, https://organis.org.br/pesquisa-consumidor-organico-2019/

Dias, Valéria Da Veiga et al. (2015). O mercado de alimentos orgânicos: um panorama quantitativo e qualitativo das publicações internacionais. Ambiente & Sociedade, 18 (1), 161-182.

EMBRAPA. O que é agrobiodiversidade? https://www.embrapa.br/contando-ciencia/agricultura/-/asset_publisher/FcDEMJIbvFle/content/o-que-e-agrobiodiversidade-/1355746?inheritRedirect=false

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do estado do Rio De Janeiro. EMATER-RIO (2021). ASPA 2020. Acompanhamento Sistemático da Produção Agrícola. Relatório por culturas do sistema ASPA/AGROGEO- ANO 2020. ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Niterói-RJ, EMATER-RIO

Figuerêdo, F. J. C. (1978). Botânica da semente. II Curso sobre Tecnologia de Sementes, Belém: Faculdade de Ciências Agrárias do Pará, https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/191437/1/Botanica.pdf

Fonseca, M. F. A. C.; De Almeida, L. H. M.; Colnago, N. F. (2009). Características, estratégias, gargalos, limites e desafios dos circuitos curtos de comercialização de produtos orgânicos no Rio de Janeiro: as feiras. Cadernos de Agroecologia 4 (1).

Fonseca, M.F.A.C; Santos, M.B.; Paranhos, R. (2020). Panorama da produção orgânica no estado do Rio de Janeiro. Niterói-RJ, PESAGRO-RIO. Nota técnica 01/2021.

Food and Agriculture Organization. FAO (2011). Biodiversity for Food and Agriculture: Contributing to Food Security and Sustainability in a Changing World. Rome: Platform for AgrobiodiversityResearch, FAO.

Hunter, D. I. et al. (2016). Enabled or disabled: is the environment right for using biodiversity to improve nutrition? Frontiers in Nutrition, 3 (14) DOI: 10.3389/fnut.2016.00014. https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fnut.2016.00014/full

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE (2020). Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro-RJ, IBGE https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101670.pdf

Leadley. P.W.; Krug, C.B.; Alkemade, R.; Pereira, H.M.; Sumaila, U.R.; Walpole, M. et al. (2014). Progress towards the Aichi Biodiversity Targets: an Assessment of Biodiversity Trends, Policy Scenarios and Key Actions. Montreal: Secretariat of the Convention on Biological Diversity https://www.cbd.int/doc/publications/cbd-ts-78-en.pdf.

Lima, S. K. et al. (2019). Produção e consumo de produtos orgânicos no mundo e no Brasil. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

Machado, A. T. (2007). “Biodiversidade e agroecologia”. En: Boef, W. S.; Thijssen, M. H.; Ogliari, J. B.; Sthapit, B. R. Biodiversidade e agricultores: fortalecendo o manejo comunitário. Porto Alegre: L&PM.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. MAPA (2019). Em 7 anos, triplica o número de produtores orgânicos cadastrados no ministério. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/em-sete-anos-triplica-o-numero-de-produtores-organicos-cadastrados-no-mapa.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. MAPA (2020). “Tá no Mapa” traz informações sobre setor de produtos orgânicos no Brasil. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/ta-no-mapa-traz-informacoes-sobre-setor-de-produtos-organicos-no-brasil.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. MAPA (2021). Cadastro nacional dos produtores orgânicos. Brasília-DF, MAPA. www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/organicos/cadastro-nacional-produtores-organicos

Ornellas, L. H. (2001). Técnica dietética: seleção e preparo de alimentos. Rio de Janeiro: Atheneu.

Reiniger, L.R.S.; Wizniewsky, J.G.; Kaufmann, M.P. (2017). Princípios da agroecologia. Santa Maria: UAB/NTE/UFSM.

Research Institute of Organic Agriculture. FIBL. International Organic Agriculture Movements. IFOAM (2021). The world of organic agriculture 2021: Latest statistics about organic agriculture worldwide. Nuremberg: BIOFACH ESPECIAL https://www.ifoam.bio/sites/default/files/2021-02/World%20of%20Organic%20Agriculture.pdf.

Research Institute of Organic Agriculture. FIBL. International Organic Agriculture Movements. IFOAM (2021). Global organic market overwview. Nuremberg: BioFACH Congress ESPECIAL, https://www.ifoam.bio/sites/default/files/2021-02/Global%20Organic%20Market%20Overview.pdf.

Rio De Janeiro (2019). Lei n. 8.625 de 18 de novembro de 2019 que dispõe sobre a Política Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável, Agroecologia e Produção Orgânica. Rio de Janeiro-RJ, D.O.E, https://gov-rj.jusbrasil.com.br/legislacao/782174786/lei-8625-19-rio-de-janeiro-rj.

Secretariat of the Convention on Biological Diversity. SCBD (2000). Sustaining life on Earth:how the Convention on Biological Diversity promotes nature and human well-being. https://www.cbd.int/doc/publications/cbd-sustain-en.pdf.

Secretariat of the Convention on Biological Diversity. SCDB (2006). Convention on Biological Diversity. Decision adopted by the conference of the parties to the convention on biological diversity at its eighth meeting. https://www.cbd.int/doc/decisions/cop-08/cop-08-dec-23-en.pdf.

Silva, T. T. C. et al. (2011). Cartilha do agricultor orgânico: rotulagem de Alimentos. Rio de Janeiro: RJUFRJ.

Siqueira, A.P.P.; Fonseca, M.F. de A.C.; Almeida, L.H.M.de; Ribeiro, C. de B. (2020). “O SPG ABIO e o Circuito Carioca de Feiras Orgânicas: uma estratégia de construção coletiva no Rio de Janeiro”. En: Hirata, A.R.; Rocha, L.C. D. da. Sistemas Participativos de Garantia no Brasil: histórias e experiências (155 – 164). Pouso Alegre: IFSULDE MINAS.

Toni, D. et al. (2020). A Configuração da Imagem de Alimentos Orgânicos e suas Motivações para o Consumo. Ambient. soc., 23, DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422asoc20170232r4vu2020L5AO

Zimmermann, C. L (2011). Monocultura e transgenia: impactos ambientais e insegurança alimentar. Veredas do Direito: Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável 6 (12) http://www.domhelder.edu.br/revista/index.php/veredas/article/view/21/133


Texto completo: PDF XML

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Revista Latinoamericana de Estudios Rurales ISSN: 2525-1635

Licencia Creative Commons