Sobre o protagonismo dos carregadores em tempos de COVID-19, no contexto da feira do açaí, em Belém (Brasil)

Miguel de Nazaré Brito Picanço

Resumen


Este ensaio fotoetnográfico “fala” sobre o protagonismo do trabalho de alguns atores sociais belenenses, que, mesmo diante de incertezas e vulnerabilidade, contribuem significativamente para a continuidade da tradição de comer açaí em Belém e sua região metropolitana em tempos de pandemia do novo Coronavírus. São eles: os trabalhadores carregadores de açaí, cujas importâncias se revelam nas funções laborais que desempenham todas as noites no contexto da feira do Açaí, em Belém do Pará, em meio às incertezas e vunerabilidades impostas pelo Covid-19, conforme mostram as imagens que seguem.

http://id.caicyt.gov.ar/ark:/s25912755/soyskswnj


Palabras clave


trabalho; Açaí; Covid-19; Belém

Citas


Gómez-Reyes, E.; Ortiz, V. (2020) COVID-19 impactará em la forma de comer y mirar los alimentos. Disponível em: https://www.linkedin.com/content guest/article/covid-19-impactar%C3%A1.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da Extração vegetal e da Silvicultura. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/289.

Prefeitura Municipal de Belém. Decreto 96.190/2020 de 27 /04/2020. Disponível em: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=393690

Samain, E. (2005) O fotográfico. São Paulo: Hucitec/senac.

Samain, E. (2021) Como pensam as imagens. Campinas: Editora da Unicamp.


Texto completo: PDF XML

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Revista Latinoamericana de Antropología del Trabajo ISSN 2591-2755

Licencia Creative Commons
Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional